Terça-feira 24 de Outubro de 2017
Inicio / Confirmação

Confirmação

«A Confirmação completa a graça baptismal; ela é o sacramento que dá o Espírito Santo, para nos enraizar mais profundamente na filiação divina, incorporar-nos mais solidamente em Cristo, tornar mais firme o laço que nos prende à Igreja, associar-nos mais à sua missão e ajudar-nos a dar testemunho da fé cristã pela palavra, Confirmaçãoacompanhada de obras.» (Catecismo da Igreja Católica 1316)

O sacramento da Confirmação é administrado nos nossos dias ainda um pouco como no tempo dos apóstolos. O bispo – ou o seu representante autorizado – estende as mãos sobre o confirmando e invoca para ele o dom do Espírito Santo. Depois impõe as mãos, chama-o pelo seu nome e diz: “Recebe por este sinal o dom do Espírito Santo.” Ao mesmo tempo unge a fronte do confirmando com o óleo do santo crisma, marcando-o com o sinal do Espírito Santo. O confirmando renova as suas promessas baptismais e recita a profissão de fé da Igreja.

Na Igreja ocidental, a Confirmação é administrada aos jovens como “sacramento da maturidade cristã”, dado que, ao serem baptizados em crianças, foram os pais e padrinhos que pronunciaram a profissão de fé. Agora que começam a viver e a agir de forma independente, pronunciam eles próprios o seu “sim” à comunidade de fé que os integrou pelo Baptismo.

Dizem sim a Cristo e proclamam a sua disponibilidade para com Ele, assim como a vontade de não negar a sua fé.

Declaram o seu consentimento para se comprometerem em favor da Igreja e para ajudarem os seus irmãos e irmãs.

Tal como o Baptismo, a Confirmação imprime também à alma um carácter espiritual, um selo indelével; é por isso que não podemos receber este sacramento mais do que uma vez. O dom do Espírito Santo torna aquele que o recebe capaz de converter-se em “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14), de testemunhar Jesus Cristo, através da sua vida e dos seus actos: é um cristão que fala e age como tal.

Cremos no Espírito Santo

que nos capacita a viver sem violência,

a ir junto dos pobres,

a comprometer-nos com os mais fracos,

a servir a Deus.

Cremos no Espírito de Jesus Cristo

que nos impulsiona a viver como irmãos,

a mudar os nossos hábitos

e a criar a esperança até que todos compreendam

que somos filhos e filhas de Deus.